5 Infrações que podem levar a apreensão do veículo

Apreensão do veículo é uma das medidas mais severas do Departamento de Trânsito (Detran). Apesar de ser muito vista nas ruas não é algo praticado com frequência. Está prevista apenas nas multas do tipo grave. Saiba mais!

Em que situações pode acontecer a apreensão do veículo?

Um veículo é apreendido quando a situação é considerada tão grade de acordo com as normas de trânsito que não é de bem ele continuar nas ruas. São cinco as principais:

Veículo roubado – não é seu e você não sabe de quem é o carro o qual está dirigindo? Ele será detido para mais esclarecimentos. Sem o documento do veículo em mãos (e válido) para comprovar a propriedade infelizmente ele não poderá circular. 

Documento do veículo atrasado – ele é emitido anualmente automaticamente após pagar o IPVA RJ ou de qualquer outro Estado. Neste caso o carro, moto ou caminhão pode ficar detido até a taxa ser tirada do atraso. Não importa se é um atraso de 30 dias ou anos. Se tiver irregular ele fica. 

Motorista embriagado sem condutor disponível – se tiver quem possa dirigir por perto e devidamente habilitado tudo bem. Se não o carro ou moto fica e vai para o pátio com pagamento de taxas. Isso não é negociado porque ao ser pego pela Lei Seca a infração é muito grave. O motorista está colocando em risco sua própria vida.

Dirigir sem habilitação – o proprietário ser multado por permitir a infração e o veículo fica. 

Dirigir com permissão diferente para o seu veículo – permissão para moto não vale para carro e vice versa. Dirigir veículo de categoria diferente à registrada na habilitação cabe apreensão do veículo, suspensão do documento e encaminhamento para curso de reciclagem, além de pagar multa. 

Como acontece a apreensão de um veículo

Se ao acordar o motorista e a infração de trânsito for constatada, o condutor é convidado a se retirar da direção e afastar-se do carro. Pode levar seus pertences pessoais mas não poderia mais guiar o carro. 

Mesmo os agentes de trânsito sendo habilitados, não são eles responsáveis por guiar o carro. Caso a apreensão seja realizada na rua (em uma blitz ou outro tipo de interação com o condutor) um reboque devidamente sinalizado pelo Detran será enviado até o local caso não haja um disponível. O veículo é colocado no reboque e então será levado para um pátio do Detran. 

Para ter o bem de volta o proprietário deve procurar o Departamento de Trânsito mais próximo (pode ser qualquer um) e pagar as multas e taxas pelo reboque. Caso o problema tenha sido de embriaguez é preciso apenas pagar as taxas de reboque e estacionamento no depósito do Detran e ele será liberado. 

Caso a situação seja de não ter pago o IPVA MG, por exemplo. Ele deve pagar o IPVA (todos os meses em atraso ou negociar isso) e as taxas de estacionamento no local determinado pelo Detran (diária) e reboque. Quando o pagamento compensar e for liberado no sistema ele é